Whole Foods
Negócio, incluindo dívida, está avaliado em 13,7 mil milhões de dólares, qualquer coisa como 12,2 mil milhões de euros.

A multinacional de vendas online Amazon decidiu reforçar a sua oferta de retalho alimentar, onde tem visto a apostar, adquirindo a rede de supermercados Whole Foods Market.

Em comunicado emitido ao mercado esta sexta-feira, 16 de Junho, as retalhistas norte-americanas adiantam que ambos os grupos chegaram a um “acordo definitivo de fusão, em que a Amazon irá comprar a Whole Foods Market por 42 dólares por acção, numa transacção totalmente em dinheiro [sem troca de títulos, por exemplo], avaliada em 13,7 mil milhões de dólares, incluindo a dívida líquida da Whole Foods Market”.

Ao câmbio desta sexta-feira, a operação vale cerca de 12,24 mil milhões de euros. Ao pagar 42 dólares por cada acção da retalhista alimentar, avança a agência Reuters, a Amazon oferece um prémio aos accionistas da Whole Foods de 27% sobre o preço de fecho da sessão dos títulos na quinta-feira.

Com 460 supermercados nos EUA, Canadá e Reino Unido, o grupo Whole Foods realizou vendas de 16 mil milhões de dólares em 2016, segundo os dados oficiais. Emprega 87.000 trabalhadores.

O negócio, que tem ainda de ser aprovado pelos accionistas da empresa a ser adquirida, a Whole Foods, e das competentes autoridades de regulação do mercado, poderá estar concluída “durante o segundo semestre de 2017”, adianta a comunicação conjunta.

Os supermercados Whole Foods Market na América do Norte e no Reino Unido – que se caracterizam por uma aposta forte nos frescos e nos produtos biológicos – irão continuar a operar sob a marca criada em 1978, em Austin, onde irá manter-se a sede daquela que será, quando a operação estiver concluída, mais uma divisão da Amazon.

Fonte: Público 16-06-2017

 

Comentários:

Fazer login para comentar como usuário QUALI.