Portugal no Prato - Made in Correeiros
Um almoço de marisco pode chegar perto dos 300 euros. Clientes reclamam que preços não são apresentados e depois são cobradas contas demasiado altas.

"Portugal no Prato" ou "Made in Correeiros". Uma pesquisa pelas redes sociais ou por sites de avaliações e críticas de restaurantes, como o Zomato ou o TripAdvisor, onde as avaliações, com média mínima, são mais de 500, revelam rapidamente que o restaurante lisboeta que tanta polémica tem gerado nos últimos tempos é conhecido pelos dois nomes.

O estabelecimento é acusado de ter preços demasiado altos para os serviços e comida que apresenta, com várias pessoas a referirem que os pratos são, inclusivamente, sugeridos pelos funcionários, muitas vezes sem mostrarem os preços.

"Abordam na rua oferecendo comida a um preço razoável (entre 8 e 15 euros), loco colocam milhões de extras e oferecem pratos para comer entre amigos a preços absurdos (140 euros). Tive que negociar durante 15 minutos com o garçom para poder saber o preço real de tudo", pode ler-se numa avaliação no TripAdvisor.

Várias fotografias que têm circulado pelas redes sociais mostram os preços praticados pelo restaurante. Nos recibos constam, por exemplo, 250 euros por uma "Mista de Marisco", ou 140 euros por uma "Mista de Carne Especial".

"Muito cuidado, eles agora usam outro nome " Made in Correeiros ". Nome diferente o mesmo esquema, apresentam uma carta com preços com uma média de 15 euros e depois sugerem pratos que não estão na carta. No final este esquema pode render 250 euros por uma refeição vulgar. A evitar!! Onde andam as autoridades deste país?!", lê-se numa outra crítica, no site Zomato.

Enquanto vários clientes se queixam da não apresentação de uma ementa, e logo dos preços, outras pessoas dizem que, ao ver o menu, "a maioria dos preços conta realmente na ementa" e que "não se percebe" como é que os clientes "caem na armadilha". É possível ler em vários destes sítios que muitos dos clientes que se sentem enganados são turistas em Lisboa.

Fonte: DN 01-08-2017

 

Comentários:

Fazer login para comentar como usuário QUALI.