Apreendidas pela ASAE 320 toneladas de alimentos de origem asiática impróprios para consumo
Mais de 320 toneladas de alimentos de origem asiática avaliadas em quase dois milhões de euros e impróprias para consumo foram apreendidas hoje pela Autoridade para a Segurança Alimentar e Económica (ASAE), disse um responsável da instituição.

Os bens alimentares "estragados, fora de prazo e armazenadas sem condições de higiene" encontravam-se num "grande armazém" com 900 metros quadrados de superfície, situado na região da Grande Lisboa, disse à agência Lusa o vice-presidente da Autoridade para a Segurança Alimentar e Económica (ASAE), Francisco Lopes.

"No armazém havia ratos, dejetos humanos, pássaros a voar e até alimentos armazenados nas casas de banho", relatou o responsável, que escusou avançar a localização da estrutura por estarem ainda a ser investigadas outras instalações do género.

Apreendidas pela ASAE 320 toneladas de alimentos de origem asiática impróprios para consumo

Arroz, massas, camarão, vegetais congelados, fruta fresca e enlatada faziam parte dos produtos apreendidos de "grande perigosidade para a saúde" dos consumidores e que deviam entrar no circuito comercial das "lojas asiáticas e não só", acrescentou Francisco Lopes.

A operação realizada pela ASAE (Autoridade para a Segurança Alimentar e Económica) envolveu sete inspetores e culminou uma investigação que decorria há "três, quatro semanas".

Aos dois responsáveis pelo armazém foi levantado um processo-crime e autos de contra-ordenação (multas cujo valor será definido posteriormente), um deles por falta de higiene, precisou o dirigente da Autoridade para a Segurança Alimentar e Económica (ASAE).

Esta ação ocorreu no seguimento de outras do género realizadas nos últimos dias também na região de Lisboa, mas teve resultados muito maiores. "Há muito que não se fazia uma operação tão grande", considerou Francisco Lopes.

Fonte rtp 18-10-2011

 

Comentários:

Esta página usa cookies para lhe proporcionar uma melhor experiência. Ao continuar está a consentir a sua utilização.