Óleos alimentares
O óleo alimentar tradicionalmente usado para a confeção de fritos é um produto de origem vegetal que, quando mal reaproveitado, acaba por se converter num agente de forte contaminação do meio ambiente.

Por incúria ou distração, muitos consumidores domésticos acabam por despejar os óleos alimentares usados no normal sistema de esgotos, causando problemas a jusante nos canos e posteriormente nos sistemas de tratamento de águas residuais.

Para ter a noção do problema, um litro de óleo doméstico deitado no ralo da cozinha chega a contaminar, de uma só vez, um milhão de litros de água, o suficiente para a sobrevivência de uma pessoa até aos 40 anos.

Esta contaminação manifesta-se através da criação de uma fina película isoladora à superfície da água, impedindo a normal oxigenação. Pode mesmo provocar asfixia à fauna existente em lagos e circuitos de água fechados, além de tornar a própria água imprópria para consumo humano.

O óleo não se mistura com a água e cria uma fina película isoladora à superfície, impedindo a oxigenação e dando origem à asfixia da fauna aquática.

Este problema pode ser minimizado ou mesmo eliminado, se o consumidor separar e acondicionar este produto depois de usado.

Texto na íntegra - Óleos alimentares usados: da confeção ao pesadelo da contaminação

Fonte: RTP 25-01-2017

 

Comentários:

Esta página usa cookies para lhe proporcionar uma melhor experiência. Ao continuar está a consentir a sua utilização.