Pepinos assassinos
Mais outra história do “incrível”, digna da série de TV Twilight zone: A Alemanha anunciou ter detectado mais 60 casos de contaminação com uma variante da bactéria Escherichia coli (EHEC), que provoca graves danos nos intestinos e sobretudo nos rins.

A bactéria já causou dez mortos nos últimos dias e o número de pacientes contaminados subiu para cima dos 300, disse o Instituto Robert Koch (RKI), de Berlim, que está a coordenar os exames laboratoriais.

As autoridades alemãs garantem que a infecção foi originada por pepinos importados de Espanha, de fruticultores em Málaga e Almeria, e comercializados no mercado abastecedor de Hamburgo.

O governo espanhol defende-se e diz que a contaminação poderá ter ocorrido no transporte dos vegetais ou até mesmo no centro de distribuição de Hamburgo.

Após intensas investigações, o foco infeccioso foi detectado em análises a quatro pepinos escolhidos ao acaso entre os legumes à venda no mercado central de Hamburgo.

Três dos pepinos eram espanhóis, um deles de produção biológica, mas as autoridades desconhecem a origem de cultivo do quarto pepino.

Um dos fornecedores espanhóis, o Pepino Bio Frunet alegou que os legumes foram provavelmente contaminados na Alemanha, num acidente que provocou a queda de 180 embalagens de pepinos, no referido mercado.

Fiscais de controlo de alimentos alemães consideraram "muito improvável" a hipótese levantada pelo comerciante espanhol.

"Era preciso que tivesse caído pelo menos um camião de pepinos, para provocar tantas infecções como as que temos registado", disse o presidente da Associação de Controlo de Alimentos alemã, Thomas Muller, ao jornal Bild.

O mesmo responsável admitiu que os pepinos contaminados possam ter sido novamente lavados, antes de serem embalados, e que tenham entrado nesse momento em contacto com a bactéria na Alemanha.

Devido ao risco de contaminação e porque não foi possível apurar ainda se a bactéria EHEC apenas surgiu nos referidos pepinos, as autoridades sanitárias recomendaram aos consumidores que se abstenham de comer legumes crus, incluindo tomate e salada, sobretudo no norte da Alemanha, até agora centro das infecções.

Segundo o jornal espanhol El Mundo, a Alemanha importou já este ano um terço de toda a produção de pepinos espanhola, o que corresponde a 143 mil toneladas.

Há já casos registados de contaminação pelos pepinos a humanos no Reino Unido, na Suécia, Dinamarca e Holanda.

Até agora, não há casos conhecidos da bactéria dos pepinos assassinos entre nós. A Ministra da Saúde Ana Jorge, garantiu que a ASAE se encontra vigilante.

Esta história improvável cheira-me a esturro e creio que está em curso mais outra operação de falsa bandeira. Será que vamos duvidar daquilo que comemos?

O que pretendem com isto boicotar o consumo de vegetais? Ou acabar com a agricultura dos países da Europa do Sul?

Impor regras apertadas no consumo de produtos alimentares levando-nos a comer organismos geneticamente modificados ou produtos alimentares artificiais?

Fonte kafecultura 28-05-2011


 

Comentários:

Esta página usa cookies para lhe proporcionar uma melhor experiência. Ao continuar está a consentir a sua utilização.