Diabetes mais que duplicou em 30 anos
O número de adultos com diabetes em todo o mundo mais do que duplicou desde 1980 para 347 milhões, revela um estudo publicado na revista "Lancet" que atribui a situação ao envelhecimento da população e expansão do problema da obesidade.

O estudo, que contou com o apoio da Fundação Bill & Melinda Gates e da Organização Mundial de Saúde, consistiu na análise de mais de 150 inquéritos de saúde e pesquisas sobre o tipo 2 de diabetes em adultos com mais de 25 anos de 199 países e territórios e no cálculo do número de casos noutros 92 países.

Segundo esta pesquisa, existem 347 milhões de diabéticos no mundo face aos 153 milhões que existiam em 1980, sendo que 138 milhões vivem na China e na Índia e outros 36 milhões nos Estados Unidos e Rússia. Um outro estudo indicava que existia em 2010 um total de 285 milhões de diabéticos.

Problema global

Os investigadores consideram que a doença já não está limitada aos países desenvolvidos, mas que é agora um problema global.

Cabo Verde, ilhas Samoa, Arábia Saudita, Papua Nova Guiné e Estados Unidos são os países onde a doença se expandiu mais rapidamente nos últimos 30 anos, revela a pesquisa, segundo a qual o aumento do número de diabéticos está essencialmente relacionado com o envelhecimento da população - a doença afeta normalmente as pessoas com meia-idade - e aumento das taxas de obesidade.

"Os diabetes poderão bem tornar-se no principal problema de saúde da próxima década", disse um dos autores do estudo, Majid Ezzati, da Imperial College de Londres.

Este investigador realçou que os números ainda não incluem as gerações de crianças obesas e jovens adultos predispostos a desenvolver a doença, o que elevará a sua incidência, podendo criar uma sobrecarga dos sistemas de saúde.

"Ainda não atingimos o pico desta onda", afirmou Ezzati ao sublinhar que, "ao contrário da tensão alta e do colesterol, ainda não temos bons tratamentos para os diabetes".

Tipo 2 é o mais comum

Na Europa Ocidental foi registado apenas um ligeiro aumento do número de adultos com diabetes nos últimos 30 anos. Em Singapura, França, Itália, Suíça, África Subsariana, América Central e países asiáticos desenvolvidos não foram registadas variações.

O tipo mais comum de diabetes, o 2, está normalmente associado à obesidade e desenvolve-se quando o corpo não produz insulina suficiente, fazendo aumentar os níveis de açúcar no sangue. A doença pode ser gerida com uma dieta, exercício e medicação, mas cronicamente poderá causar problemas de rins, cegueira e amputação de membros.

Os médicos consideram que o grande desafio para inverter estes números no futuro é a adoção de estilos de vida mais saudáveis.

Fonte Expresso 26-06-2011
{hwdvs-player}id=961|height=262|width=350{/hwdvs-player} {hwdvs-player}id=962|height=262|width=350{/hwdvs-player} {hwdvs-player}id=963|height=262|width=350{/hwdvs-player}

 

Comentários:

Esta página usa cookies para lhe proporcionar uma melhor experiência. Ao continuar está a consentir a sua utilização.