Novo tratamento contra alergia aos amendoins
A revista britânica The Lancet publica hoje um estudo sobre um novo tratamento que podia curar, com 84% de probabilidades de êxito, a alergia aos amendoins, "uma desordem alimentar cada vez mais comum e importante" entre as crianças.

Uma equipa de médicos da Universidade de Cambridge (leste de Inglaterra) administrou diariamente proteína de amendoim a 99 crianças alérgicas, com idades entre os sete e os 16 anos, e detectaram que, após seis meses, entre 84 e 91% deles podiam comer cinco amendoins por dia sem apresentar qualquer reacção.

De acordo com o relatório, esta desordem alimentar afecta entre 0,5 e 1,4% das crianças de países desenvolvidos e encontrar uma cura significaria "uma melhoria da qualidade de vida" para essas pessoas, que não podem comer amendoins de nenhuma forma.

Para comprovar a eficácia do tratamento, os doentes foram introduzindo progressivamente a proteína de amendoim na dieta, sendo obrigados a deslocar-se regularmente ao hospital para analisar os efeitos.

O tratamento foi definido pelos investigadores como "potencial", advertindo ainda não estar pronto para uma utilização alargada.

"É um tratamento potencial e o passo seguinte é colocá-lo à disposição dos doentes, mas há custos significativos que têm que ser assumidos", explicou um dos médicos, Andrew Clark, em declarações à cadeia de televisão britânica BBC.

Ao mesmo tempo, Clark admitiu que esta terapia "mudou radicalmente a vida dos doentes".


Fonte Lusa/SOL 30-01-2014

 

Comentários:

Esta página usa cookies para lhe proporcionar uma melhor experiência. Ao continuar está a consentir a sua utilização.