Banco de Sementes Svalbard
Silo Internacional de Sementes de Svalbard, na Noruega, contém 90% das sementes existentes no planeta. O objetivo do projeto é salvaguardar a biodiversidade em caso de catástrofe. Desde a abertura, em 2008, foram depositadas no silo 860 mil amostras de quatro mil espécies de plantas.

No extremo norte do Planeta Terra, existe um arquipélago único. É o lugar permanentemente habitado mais próximo do Polo Norte. Longe até das capitais mais setentrionais do mundo, Svalbard é um território banhado pelo oceano Glacial Ártico.

Tão isolado e frio que é considerado um oásis do nosso futuro, sendo a localização perfeita para guardar documentos importantes de nossa recente história, assim como servir para armazenar os mais diferentes tipos de sementes.

A Noruega exerce a soberania sobre Svalbard, mas um tratado assinado em Paris, no ano de 1920, garantiu que todos os países que fizeram parte do acordo pudessem se beneficiar dos recursos naturais da região. Hoje em dia, são mais de 40 nações que gozam desses privilégios. O governo russo foi um dos que mais aproveitou isso e ainda explora as minas de carvão deste solo nevado.

Oslo, na Noruega, é a capital mais próxima do arquipélago. Ainda assim, três horas de voo separam este ponto no Ártico até o continente europeu. Além disso, o Polo Norte está a 1.300 km dessas terras. Realmente, Svalbard é um lugar de extremos, até na sua beleza, quando as auroras boreais aparecem no horizonte do território.


O maior banco de sementes do mundo

Em 2008 foi inaugurado próximo a capital de Svalbard o Global Seed Vault. É o maior silo de sementes do mundo e já tem quase 1 milhão de amostras em seu interior. O arquipélago do Ártico foi escolhido por ser uma região segura às alterações climáticas do aquecimento global.

A capacidade do Global Seed Vault é de albergar 4,5 milhões de amostras. As sementes são preservadas em câmaras de baixas temperaturas (-18o C). Caso haja algum problema elétrico, a neve que cobre o silo mantém o material entre -4o C e -6o C.

O objetivo do banco de sementes é preservar a biodiversidade das espécies de cultivos que sirvam como alimento. O governo norueguês é um dos maiores financiadores do projeto, assim como pessoas ilustres, como Bill Gates, que fez generosas doações através de sua fundação.

O Global Seed Vault mostrou a sua utilidade em 2015, quando houve a primeira retirada de sementes. Elas foram destinadas ao banco genético de Aleppo, na Síria, que foi transferido para Beirute, no Líbano, já que ele foi danificado na guerra civil que assola o país localizado no Oriente Médio.

Svalbard o Global Seed Vault
Bill Gates e Monsanto

Bill Gates é um dos patrocinadores do silo de sementes em Svalbard. A ideia é fruto de uma parceria entre a sua fundação e instituições como a Fundação Rockefeler, a Fundação Syngenta, a Monsanto e o governo da Noruega.

Entre os Noruegueses o local é chamado de Banco de Sementes para o Fim do Mundo (verden ende ætt bank), mas oficialmente o Governo Norueguês, que apoia e subscreve o projecto, recebe o nome de Banco Global de Sementes de Svalbard Spitsbergen.

 

Comentários:

Esta página usa cookies para lhe proporcionar uma melhor experiência. Ao continuar está a consentir a sua utilização.