bactérias nos carros
Um estudo concluiu que a generalidade dos automóveis tem mais bactérias que as sanitas das casas de banho. E as cadeiras dos bebés são particularmente sujas.

Um estudo da Continental realizado pela Universidade de Birmingham concluiu que o interior dos carros britânicos é mais sujo que as casas de banho dos respetivos condutores. Compararam com as bactérias encontradas nos assentos dos automóveis e encontraram cerca de 100 fungos e bactérias, entre eles Salmonelas e E. coli, duas bactérias responsáveis, entre outras, por infeções do aparelho digestivo. E as cadeiras dos bebés são particularmente “sujas”, concluíram.

Um em cada cinco condutores limpa o interior do carro apenas uma vez por ano. O nível de desleixo é tal que o lixo encontrado dentro dos automóveis de 1 em cada 10 condutores britânicos foi a causa identificada como a responsável por acidentes — uma lata ou uma garrafa pode facilmente obstruir o pedal do travão, por exemplo. O estudo limitou-se a 20 veículos, mas o resultado poderá ser extrapolado.

Esta pesquisa concluiu ainda que 60% dos condutores não têm noção dos riscos que correm, quer em termos de segurança, quer na higiene. A Escherichia coli (E. coli) é uma bactéria comum e apesar da maioria das estirpes ser inofensiva para os seres humanos, algumas podem causar infeções intestinais, urinárias e pulmonares — ao longo dos últimos anos têm sido identificadas estirpes de E. coli multi-resistentes, o que representa um problema grave. As Salmonelas são responsáveis por infeções intestinais e também estão associadas a um elevado número de intoxicações alimentares, sendo as crianças particularmente sensíveis.

Este estudo revela que as cadeiras dos bebés são pontos sensíveis e encontram-se particularmente contaminadas. E isso terá provavelmente reflexos na saúde das crianças que convivem com estes ambientes. Mark Griffiths, especialista de segurança da Continental afirma que “os condutores devem tratar dos seus automóveis com a mesma atenção com que tratam as suas casas”.

Fonte: Observador 22-08-2014

 

Comentários:

Artigos mais lidos

  1. 15 dias
  2. 30 dias
Esta página usa cookies para lhe proporcionar uma melhor experiência. Ao continuar está a consentir a sua utilização.