ASAE fecha dois armazéns por causa de ratos e pombos
A Autoridade de Segurança Alimentar e Económica (ASAE) suspendeu a laboração em dois armazéns de cereais do Porto de Aveiro, por falta de requisitos de higiene, informou esta quinta-feira este organismo.

A medida foi tomada após uma vistoria realizada na quarta-feira aos armazéns, que são propriedade da Administração do Porto de Aveiro (APA) e estão alugados a empresas privadas.

O Sindicato dos Trabalhadores do Porto de Aveiro já tinha alertado a administração portuária para esta situação.

«Há alguns ratos, mas o maior problema são as centenas de pombos que vivem ali no terminal Norte e que se alimentam dos cereais que estão nos armazéns e defecam em cima dos produtos», adiantou à Lusa um trabalhador que não quis identificar-se.

Segundo a mesma fonte, alguns destes animais não conseguem dar com a saída e acabam por morrer dentro dos armazéns, existindo já «muitos animais mortos e em estado de decomposição».

O presidente da APA, José Luís Cacho, diz que a administração portuária é alheia a esta situação, argumentando que os armazéns estão sob responsabilidade dos operadores: «nós apenas arrendamos o espaço para armazenar as cargas».

José Luís Cacho realçou ainda que os referidos armazéns movimentam multi-produtos, desde aglomerados a produtos agroalimentares.

«O que pode acontecer é ser reconhecido, eventualmente, que os armazéns não tenham condições para movimentar aquele tipo de mercadorias e que fiquem impossibilitados de o fazer», adiantou o mesmo responsável que vai aguardar pelo evoluir do processo.

Fonte Lusa 23-09-2010

 

Comentários:

Esta página usa cookies para lhe proporcionar uma melhor experiência. Ao continuar está a consentir a sua utilização.