ONU reconhece progressos da China na segurança alimentar
A China fez significativos progressos no âmbito da segurança alimentar nos últimos 30 anos, afirmou na quinta-feira em uma entrevista coletiva realizada em Beijing Olivier De Schutter, relator especial da Organização das Nações Unidas sobre o Direito à Alimentação.

No entender do funcionário da ONU, a China conseguiu esses progressos ao investir em agricultura e aplicar reformas que tornaram os agricultores individuais mais produtivos.

De Schutter, que assumiu seu cargo em 2008, fez uma visita à China de 15 a 23 de dezembro. Durante sua estadia, o relator especial se reuniu com funcionários dos ministérios das Relações Exteriores e da Agricultura, além da Administração Estatal de Cereais e fez visita à Província de Shandong, uma das maiores bases de produção de cereais da China.

A China, com uma população de 1,3 bilhão, tem que alimentar 21% da população mundial mas só conta com 9% da terra cultivável do planeta.

O país passou, em 2005, de um receptor de assistência alimentar a um doador, graças aos esforços de 200 milhões de agricultores particulares, cada pessoa com uma média de 0,65 hectare de terras cultiváveis, segundo De Schutter.

Além disso, o funcionário recordou que a China conseguiu ter uma taxa de auto-suficiência de cereais superior a 95%. Ele calcula que o gigante asiático tenha uma reserva duas vezes maior que os 17%, nível seguro recomendado pela Organização das Nações Unidas para a Agricultura e a Alimentação (FAO).

Apesar dos progressos obtidos pela China na agricultura, De Schutter apontou que a China deve fazer esforços para garantir a sustentabilidade do meio ambiente e da igualdade social.

Desde 1997, o país perdeu 8,2 milhões de hectares de terra cultivável no seu processo de urbanização e por causa dos programas de reflorestamento, além dos desastres naturais.

Atualmente, a área de terra cultivável disponível per capita é de 0,092 hectare, que representa 40% da média do mundo, disse o funcionário da ONU.

Fonte agência Xinhua 24-12-2010

 

Comentários:

Esta página usa cookies para lhe proporcionar uma melhor experiência. Ao continuar está a consentir a sua utilização.