Purificadores de água
Tendo tido conhecimento de novas movimentações de empresas que comercializam “purificadores” de água para instalação em torneiras domésticas, a Associação Portuguesa de Distribuição e Drenagem de Águas (APDA) reitera a sua posição sobre a utilização deste tipo de aparelhos, na sequência de outras já anteriormente veiculadas.

Alegando a má qualidade da água distribuída, tais empresas vendem aparelhos (filtros) que dizem melhorar a qualidade da água, mas que, ao invés, transformam a água distribuída num produto não aconselhável ao consumo humano, deficitário em sais minerais dissolvidos essenciais à saúde humana (cálcio, ferro, magnésio, sódio e potássio).

A maior parte destes aparelhos utilizam processos de osmose inversa ou de permuta iónica, que removem os sais dissolvidos da água. Uma das “demonstrações” geralmente levadas a cabo na casa do consumidor é a da electrólise da água, que consiste na separação dos compostos químicos existentes na água através da corrente eléctrica.

Importa, mais uma vez, salientar que as concentrações residuais de compostos químicos à saída das Estações de Tratamento de água (ETA) para consumo humano têm de cumprir os valores paramétricos estipulados no Decreto-Lei n.º 306/2007, de 27 de Agosto, que rege a qualidade da água destinada ao consumo humano.

Refira-se que esses valores paramétricos, foram estabelecidos a nível europeu e em articulação com as recomendações da Organização Mundial de Saúde, tendo por objectivo proteger a saúde humana dos efeitos nocivos resultantes da eventual contaminação dessa água.

Para a garantia da qualidade da água as Entidades Gestoras de sistemas de abastecimento de água executam, de acordo com o estabelecido no referido diploma legal, um controlo de qualidade da água para consumo humano, assim como um controlo operacional nos diferentes órgãos do sistema de abastecimento, desde a captação à torneira do consumidor.

A APDA e a Entidade Reguladora dos Serviços de Águas e Resíduos (ERSAR) asseguram que a água distribuída pelas Entidades Gestoras é obrigatoriamente controlada por análises rigorosas efectuadas na torneira do consumidor, sendo que os resultados obtidos são divulgados trimestralmente pelas Entidades Gestoras e periodicamente sujeitos a inspecções da Entidade Reguladora.

Fonte APDA 13-01-2011

 

Comentários:

Esta página usa cookies para lhe proporcionar uma melhor experiência. Ao continuar está a consentir a sua utilização.