Espanha não descarta responsabilizar Alemanha por danos causados no sector agrícola
O Governo espanhol não descarta a possibilidade de exigir responsabilidades à Alemanha pelas “especulações” sobre a origem dos pepinos contaminados que estão a prejudicar tremendamente o sector agro-alimentar espanhol. Já morreram dez pessoas em consequência da bactéria Escherichia coli (EHEC) presente em pepinos oriundos de Espanha.

De acordo com o “El País”, o secretário de Estado da Agricultura e da Água, Josep Puxeu, denunciou as proibições de importação e venda impostas por alguns países, nomeadamente a Áustria e a República Checa, que decidiram parar de comprar legumes a Espanha apenas com base em informações “não contrastadas” difundidas pela Alemanha.

As notícias alemãs dando conta que os pepinos têm origem espanhola causaram já um grande dano ao sector hortofrutícola da região da Andaluzia que, segundo o "El País" exporta 36 por cento da sua produção para a Alemanha. Ontem de manhã o país germânico fechou as suas fronteiras à importação de qualquer fruta e hortaliça oriunda de Almeria ou Málaga (Andaluzia).

Por seu lado, a ministra federal do Consumo, Ilse Aigner (CSU), sublinhou que, perante este surto, a protecção do consumidor tem prioridade sobre tudo, incluindo sobre os interesses económicos, depois de ter mantido perante os cidadãos germânicos a recomendação pública de evitar a ingestão de legumes.

Sobre a origem exacta da bactéria (que pode estar em Espanha, ou já na Alemanha, depois da importação), Aigner assinala que “enquanto os cientistas alemães e espanhóis não derem com a fonte da infecção, o alerta permanece em vigor”.

A exportadora de Málaga Frunet Bio, assinalada como a causadora deste surto infeccioso, defende que os seus pepinos não estão contaminados pela bactéria.

Ainda de acordo com um responsável desta empresa - citado pelo “El País” - o comprador alemão avisou a empresa andaluza, via e-mail, que a mercadoria teria caído ao chão no mercado de Hamburgo e que tentaria salvar parte da carga “sob sua responsabilidade”. “Temos isso por escrito. Quando isto ocorre, não podemos garantir a integridade do produto alimentar”, explicou o porta-voz da Frunet Bio.

Os pepinos contaminados com a EHEC estão a provocar o síndrome urémico hemolítico (SUH), uma doença potencialmente perigosa que provoca diarreias com sangue. A variante extremamente agressiva da bactéria leva a falhas no sistema renal e afecta o sistema nervoso. Dez pessoas já morreram e centenas apresentam sintomas da presença da bactéria no organismo.

O surto é "um dos maiores descritos de SUH no mundo e o maior alguma vez verificado na Alemanha", segundo o Centro Europeu de Prevenção e Controlo das Doenças, com sede na Suécia.

A bactéria já foi identificada noutros países, como Suécia, Dinamarca, Holanda e Reino Unido - sempre em pessoas que estiveram na Alemanha.

Fonte Público 30-05-2011
{hwdvs-player}id=738|height=262|width=350{/hwdvs-player} {hwdvs-player}id=737|height=262|width=350{/hwdvs-player}

 

Comentários:

Esta página usa cookies para lhe proporcionar uma melhor experiência. Ao continuar está a consentir a sua utilização.