Produtores querem um apelo ao consumo
Os agricultores portugueses já somam cinco milhões de euros de prejuízos pela quebra de consumo de saladas, na sequência do alarmismo causado pelo surto da bactéria E.coli. Por isso, apelam às entidades europeias para que restabeleçam a confiança nos hortícolas nacionais.

"Mais importante do que uma ajuda compensatória é ouvir uma voz a restabelecer a confiança no consumo dos nossos hortícolas", disse ontem ao CM Manuel Évora, presidente da Portugal Fresh, que representa 23 empresas, frisando que "não há justificação" para esta situação.


Produtores querem um apelo ao consumo "Não cometemos qualquer erro, mas estamos a pagar pela irresponsabilidade do governo alemão". Os prejuízos são "galopantes", como disse ontem o ministro da Agricultura, António Serrano, e poderão chegar aos 20 milhões de euros, já que se aproximam as semanas de maior consumo, com as sardinhadas e os festejos dos santos populares.

O comissário europeu da Agricultura, Dacian Ciolos, propôs ontem uma ajuda financeira de 150 milhões de euros para cobrir as perdas dos agricultores, mas ainda não se sabe como essa compensação se irá repercutir.

"O comissário europeu devia fazer um comunicado à população a garantir a qualidade e a segurança alimentar dos nossos hortícolas", defende Manuel Évora, reconhecendo que a descoberta da origem da contaminação ajudaria à retoma da confiança. "Quando se falou dos rebentos de soja alemães, notou-se logo um aumento de consumo das saladas, que depois voltou a cair."

Fonte CM 07-06-2011
{hwdvs-player}id=754|height=262|width=350{/hwdvs-player} {hwdvs-player}id=755|height=262|width=350{/hwdvs-player}

 

Comentários:

Esta página usa cookies para lhe proporcionar uma melhor experiência. Ao continuar está a consentir a sua utilização.