Rotulagem de alimentos mais clara e com mais informação
O Parlamento Europeu vai aprovar na quarta-feira, em Estrasburgo, novas regras de rotulagem dos alimentos, passando esta a ser mais clara e legível para permitir aos consumidores escolherem mais facilmente o que pretendem adquirir.

A nova legislação, já negociada entre os eurodeputados e os Estados-membros, visa garantir que a rotulagem dos alimentos na UE “seja mais clara e legível, criando condições para que os consumidores possam fazer escolhas mais saudáveis”, segundo fonte do Parlamento.

O regulamento atualiza as regras da UE aplicáveis à rotulagem dos géneros alimentícios, fundindo num único diploma legislativo as diretivas sobre a rotulagem em geral e a rotulagem nutricional.

Por exemplo, as substâncias que provocam alergias terão de ser incluídas na lista de ingredientes, de modo a que os consumidores as identifiquem com facilidade.

A informação sobre as substâncias alergéneas terá também de ser fornecida em relação a alimentos não embalados, como os que são vendidos em restaurantes ou refeitórios.

A indicação do país de origem passa a ser obrigatória para a carne fresca de suínos, caprinos, ovinos e aves.

Os consumidores deverão também ser informados sobre a fonte específica de óleos vegetais usados em produtos, como, por exemplo, o óleo de palma.

O regulamento prevê uma derrogação relativa à declaração nutricional obrigatória para os produtos artesanais.

O texto inclui ainda regras específicas para a rotulagem da "imitação" autorizada de produtos alimentares.

O novo regulamento também tem por objetivo a redução da burocracia para os produtores e operadores do sector alimentar e reforçar o mercado interno dos 27.

Fonte Lusa 05-07-2011

 

Comentários:

Esta página usa cookies para lhe proporcionar uma melhor experiência. Ao continuar está a consentir a sua utilização.