Contaminação de alimentos no Chile
Santiago, Chile - Uma investigação de especialistas do Ministério de Saúde Pública do Chile achou altos níveis de mercúrio em pescados e mariscos expostos à venda, situação que gerou alarme nesta capital.

O presidente do Senado chileno, Guido Girardi, advertiu ao respeito que há um sério problema de segurança alimentar no país pelo excesso de de fertilizantes em frutas e verduras, e de metais pesados no caso dos produtos do mar.

Vertem-se resíduos líquidos tóxicos ao mar sem o tratamento adequado, alertou Girardi, quem chamou ademais a uma política séria de regulação de emissões.

No Chile, acrescentou, permitiu-se a instalação indiscriminada de termoeléctricas, de sementeiras, que são muito contaminantes ao longo do país e de actividades mineiras que não cumprem com standards mínimos e todo isso tem derivado em um processo sistemático de poluição das plataformas marinhas.

O representante da Câmara alta criticou ademais que os resultados da inquérito não se tivessem dado a conhecer antes pelo Ministério de Saúde, silêncio que interpretou como resultado de uma lógica de resguardo dos interesses das empresas contaminantes.

Por sua parte o director do Instituto de Nutrição e Tecnologia de Alimentos da Universidade de Chile, Ricardo Uauy, ponderou o estudo e dimensionou que a gravidade do tema está dada porque o consumo de alimentos com metais como o arsénico e o chumbo pode provocar câncer e outras doenças.

Tanto Uauy como Girardi instaram à formação de um Conselho Nacional de Alimentação Saudável que vele pelo cumprimento de práticas de inocuidade alimentar.

Fonte prensalatina 14-12-2011

 

Comentários:

Esta página usa cookies para lhe proporcionar uma melhor experiência. Ao continuar está a consentir a sua utilização.