K-Supermarket
Supermercado de Helsínquia convidou os clientes a dormirem nas suas instalações e assim beneficiarem das áreas de climatização. Capital finlandesa tem estado acima dos 25 graus desde julho.

O calor extremo atinge a Europa de norte a sul. E as noites quentes são por vezes complicadas para se conseguir dormir em tranquilidade. A Finlândia vive uma vaga de calor, com recordes de temperatura máxima a serem batidos, e um supermercado de uma cadeia finlandesa acabou a oferecer aos seus clientes a possibilidade de dormirem no interior do estabelecimento, junto às áreas com climatização. E houve logo quem aproveitasse. O grande número de interessados levaram o K-Supermarket a limitar a cem os "hóspedes" por noite.

As elevadas temperaturas que se têm feito sentir neste verão provocam efeitos sobretudo no sul do Europa, com Portugal e Espanha a serem os mais atingidos. Mas no norte a situação é também invulgar, com se viu com os recentes incêndios da Suécia. Na Finlândia os termómetros acusam igualmente números pouco habituais, com o mês de julho a ter uma média elevada, em Helsínquia, com a superação dos 25 graus quase todos os dias e com vários dias acima dos 30 graus. O Instituto de Meteorologia finlandês registou 31,6º, um máximo histórico.

A ideia de alojamento noturno no supermercado partiu depois de uma sugestão dos próprios clientes, contou uma responsável da K-Supermarket. "Os clientes comentaram, em jeito de brincadeira, que seria bom poder dormir na nossa loja. Sempre nos esforçámos para dar feedback dos clientes", disse Marika Lindfors, explicando que decidiram corresponder aos desejos dos finlandeses.

O convite começou a ser partilhado no dia 1 de agosto, pelas redes sociais, e gerou uma enorme adesão. Mais de 8 mil pessoas gostaram da mensagem, partilhada mais de duas mil vezes. Perante a adesão, o supermercado teve de limitar o número de "hóspedes" a cem pessoas.

"Muitos clientes estão ansiosos por passar a noite no frigorífico", dizia a mensagem do supermercado que recomendava aos clientes levarem objetos como almofadas, mas prometia pequeno-almoço. As únicas regras, além de estar entre as cem primeiras, era estar na loja antes de fechar. As luzes são desligadas à meia-noite. A loja explicou ainda que deixaria de vender cerveja depois das nove horas da noite.

Fonte: DN 06-08-2018

 

Comentários:

Artigos mais lidos

  1. 15 dias
  2. 30 dias
Esta página usa cookies para lhe proporcionar uma melhor experiência. Ao continuar está a consentir a sua utilização.