Fungo mutante põe em risco produção mundial de alimentos
Uma equipa de investigadores identificou quatro novas estirpes mutantes de um fungo fatal para o trigo, que poderá colocar em risco a segurança alimentar mundial, de acordo com um estudo apresentado ontem em Sampetersburgo, na Rússia.

As estirpes mutantes do fungo, chamadas de Ug99, são originárias da África, mas parecem ter se alastrado pela Ásia e por outros lugares, indicou o Borlaug Global Rust Initiative (BGRI), um grupo especializado em pragas no trigo.

"As novas mutações - identificadas no ano passado na África do Sul - tornarão as colheitas de trigo mais vulneráveis na medida em que os agentes patogénicos encontrarem novas trajetórias de vento para migração," indicou o BGRI em um documento anunciando a nova pesquisa.

O estudo identificando as mutações foi elaborado na Universidade de Free State, África do Sul, e será apresentado na Oitava Conferência Internacional de Trigo, que será organizada na cidade russa de São Petersburgo na próxima semana.

A Ug99, uma variável da praga mortal do trigo normalmente conhecida como ferrugem do caule, é um fungo de cor castanho-avermelhada levado pelo vento, que faz as plantas caírem e pode dizimar uma colheita inteira.

Fungo mutante põe em risco produção mundial de alimentos Surgiu no leste da África há uma década e espalhou-se para países como Iémen e Irão, levando os cientistas a dedicarem-se ao desenvolvimento de novas sementes de trigo resistentes ao Ug99, indicou a BGRI.

"As novas estirpes do fungo são um grave desafio", considerou no documento David Hodson, especialista em trigo na Organização das Nações Unidas para a Agricultura e a Alimentação (FAO). Cientistas citados pelo BGRI disseram que o fungo representa um sério risco para países pobres e densamente povoados do Sul da Ásia, e que, a longo prazo, pode chegar à Austrália e à América do Norte.

"O Ug99 ameaça espalhar-se nas regiões produtoras de trigo da África e da Ásia, e potencialmente, no mundo todo," alertou Arun Kumar Joshi, cientista do Centro Internacional de Desenvolvimento do Milho e do Trigo, no México. "A ameaça é particularmente maior no Sul da Ásia, que produz 20% do trigo mundial para uma população de 1,4 bilião de pessoas", acrescentou Joshi.

O trigo representa 30% da produção global de grãos e 20% das calorias que a população mundial consome todos os dias, de acordo com dados fornecidos pela BGRI, com sede na Cornell University.

26-05-2010

{hwdvs-player}id=457|height=262|width=350{/hwdvs-player} {hwdvs-player}id=456|height=262|width=350{/hwdvs-player} {hwdvs-player}id=455|height=262|width=350{/hwdvs-player}

 

Comentários:

Esta página usa cookies para lhe proporcionar uma melhor experiência. Ao continuar está a consentir a sua utilização.