Bulgária protege as crianças dos alimentos transgénicos
Uma carta enviada pela Comissão Europeia alertando a Bulgária que o país estaria violando a legislação do união europeia ao proibir experiências de campo com transgénicos acabou resultando no fortalecimento da rejeição aos produtos modificados. A primeira reacção à carta partiu do governo, que propôs flexibilizar as regras do país para testes com OGMs.

A proposta acabou motivando um amplo debate, que ao longo de quatro meses mobilizou organizações da sociedade civil e partidos políticos. E o resultado final foi uma lei que proibiu a plantação comercial de transgénicos e também as experiências a céu aberto — os testes ficaram restritos aos laboratórios.

Agora, parlamentares búlgaros pretendem proibir também a distribuição e a venda de alimentos contendo transgénicos em creches e escolas, bem como em estabelecimentos comerciais situados até 100 metros das escolas.

Ainda segundo a proposta apresentada no Parlamento, a venda de alimentos transgénicos nos mercados ficará restrita a estandes ou prateleiras separadas e claramente identificadas. Se aprovada, a lei também tornará mais rigoroso o controlo sobre alimentos importados.

Serão exigidos resultados de análises laboratoriais, assim como clara informação sobre se o produto contém ou não transgénicos. Uma pesquisa de opinião financiada pelo governo e divulgada em março deste ano mostrou que 97% dos búlgaros querem o seu país livre de transgénicos. A lei proposta irá ajudar os consumidores a fazer escolhas bem informadas quanto aos alimentos oferecidos no mercado.

Bulgaria Moves to Protect Children from GMO — Health, Novinite, 16/06/2010.
Bulgaria parliament bans GMO crops to soothe fears — Health Freedom Alliance.

{hwdvs-player}id=469|height=262|width=350{/hwdvs-player} {hwdvs-player}id=470|height=262|width=350{/hwdvs-player}

 

Comentários:

Esta página usa cookies para lhe proporcionar uma melhor experiência. Ao continuar está a consentir a sua utilização.