Os objectos estranhos no alimento podem causar doenças ou lesões. Estes perigos físicos resultam de contaminação e/ou más práticas em vários pontos da cadeia produtiva, desde a colheita até ao consumidor, inclusive dentro de um estabelecimento de alimentos.

Os perigos funcionais ocorrem quando o tamanho das partículas difere das normalmente produzidas ou fornecidas, quando ocorrem defeitos de embalagem (por exemplo, fechamento inadequado ou orifícios no material de embalagem), e quando o alimento é sabotado por funcionários ou consumidores.

Estes perigos podem ser controlados por uma inspecção cuidadosa e técnicas de vigilância aplicadas pelo produtor e pelo consumidor. Choque ou asfixia provocados por alimentos contaminados como cachorro quente, bala de goma, nozes, salgados tipo taco, bife ou qualquer outro alimento que não seja mastigado o suficiente para ser engolido, e que pode parar na faringe bloqueando a entrada do esófago e da laringe.

Os indivíduos idosos, aqueles com dentição precária, e as crianças podem sofrer de asfixia ou engasgamento devido aos alimentos contaminados. As pessoas não devem dar alimentos em pedaços grandes às crianças e aos idosos, ou a qualquer indivíduo incapaz de mastigar bem os alimentos antes de os engolir.

 

Esta página usa cookies para lhe proporcionar uma melhor experiência. Ao continuar está a consentir a sua utilização.