Análise de Risco
A Análise de Risco é uma ferramenta para a tomada de decisões por parte dos operadores com responsabilidades na gestão da saúde pública. Realizando a análise de dados de uma forma estruturada, sistematizada e cientificamente fundamentada, permite a obtenção de indicadores que ajudam na definição de prioridades de actuação e de envolvimento de esforços no que respeita à segurança dos consumidores.

De entre os objectivos da Análise de Risco encontram-se:

- a avaliação do potencial de efeitos adversos na saúde como consequência da exposição a um determinado perigo;
- a definição de medidas de mitigação do risco;
- a facilitação da comunicação entre as partes interessadas e envolvidas nos processos de decisão.

De acordo com a FAO/WHO, o processo de Análise de Risco contempla três componentes: a avaliação do risco, a gestão do risco e a comunicação do risco. Estas componentes não deverão ser etapas sequenciais mas sim interactivas devendo, no entanto, existir sempre uma separação funcional entre a avaliação do risco (relacionada com a ciência) e a gestão do risco (relacionada com a política).

A Avaliação do risco engloba a avaliação científica de efeitos adversos reais ou potenciais, resultantes da exposição a um determinado perigo e visa responder essencialmente a três perguntas: que efeitos um determinado perigo pode provocar? qual a probabilidade de ocorrência? se ocorrer quais são as consequências?

Para se responder a estas questões, a informação existente terá de ser metodicamente organizada para que se possa, em primeiro lugar, identificar e caracterizar o perigo, em segundo, avaliar a exposição a que os consumidores estarão sujeitos ao perigo e por último, a caracterização do risco. A avaliação do Risco deverá ainda formular recomendações de suporte às decisões a tomar na Gestão do risco.

A Gestão do risco é um processo político e administrativo onde se define o risco "aceitável" baseado em considerações éticas, económicas, práticas e científicas. Consiste, portanto, na avaliação de alternativas para a mitigação do risco avaliado e na definição, implementação e revisão das medidas de controlo consideradas adequadas.

A Comunicação do risco é um processo interactivo, onde existe um intercâmbio de informação e opiniões relacionadas com a avaliação e a gestão do risco. Esta comunicação deverá conter informações correctas e deverá ser formalizada à audiência adequada.

 

Esta página usa cookies para lhe proporcionar uma melhor experiência. Ao continuar está a consentir a sua utilização.